Magno Malta pede para Paulo Hartung governar em favor da família capixaba

Ligado .

No primeiro encontro após as eleições, senador Magno Malta (PR/ES) recebeu do governador eleito do Espírito Santo, Paulo Hartung e do vice, deputado federal César Colnago, os cumprimentos pelo seu aniversário, comemorado nesta quinta-feira. “Aproveitei a oportunidade para também solidarizar-me com os vitoriosos que sofreram muitos ataques durante a campanha e reivindiquei aos novos governantes que priorizem o cidadão e as famílias capixabas, como a grande obra desta nova gestão”, disse Magno Malta.

Magno Malta anuncia criação da Frente Parlamentar contra legalização das drogas

Ligado .

Em pronunciamento no grande expediente, senador Magno Malta (PR/ES) alertou a sociedade para manobra sórdida com objetivo de  legalizar a maconha no Brasil. “Eu tenho 36 anos da minha vida enxugando lágrimas de mães de viciados e continuarei lutando contra este mal”, disse Magno Malta ao anunciar oficialmente a criação da Frente Parlamentar Mista Contra a Legalização das Drogas.

Magno Malta avança com a Frente Parlamentar Mista Contra Legalização das Drogas

Ligado .

O senador Magno Malta (PR/ES) tem o apoio de 75 senadores e 400 deputados federais  para a instalação da Frente Parlamentar Mista Contra a Legalização das Drogas no Brasil. Este foi o fato novo da sexta audiência pública da Comissão de Direitos Humanos (CDH) sobre a legalização do uso de maconha para fins terapêuticos ou recreativos. “Não aceitamos a legalização da maconha para qualquer finalidade que seja”, resumiu Magno Malta.

Segundo o senador Magno Malta, “a partir dessa frente vamos aprofundar o debate e não vamos aprovar o projeto a toque de caixa, pois estão querendo aproveitar o viés medicinal para liberar a maconha no Brasil”, alertou o senador.

Para Magno Malta o povo quer mudanças e jamais deixaria de votar em favor do Brasil

Ligado .

“É notório e claro que a população brasileira cansou da Dilma, do jeito PT de governar e clama nas ruas por mudanças querendo um novo tempo. Jamais deixaria de exercer meu dever de cidadão e o voto em branco, que significa o conformismo do tanto faz, ao contrário do que parece, não significa que o eleitor não escolheu nenhum candidato, mas sim que abdica do precioso voto. Eu voto pela mudança e estou com a grande maioria que não aceita a perpetuação do Partido dos Trabalhadores no poder”, esclareceu Magno Malta. 

Senador Magno Malta (PR/ES) tem declarado repúdio ao atual modelo de gestão do Governo Federal e no segundo turno já anunciou que não ficará omisso e calado.  “É claro que precisamos de líderes e representantes de nossas opiniões e desejos. Uma sociedade sem líderes seria anárquica e acabaria em barbárie. O voto em branco ou nulo não tem valor como protesto. Mesmo se a maioria da população anulasse o voto, não haveria efeito nenhum, já que a Constituição considera apenas os votos válidos”, afirmou Magno Malta.

Magno Malta quer a infiltração de polícia na Internet para investigar a pedofilia

Ligado .

Segundo a justificação do projeto, de autoria da CPI da Pedofilia, assinado pelos senadores Magno Malta (PR/ES) e  Paulo Paim (PT/RS) a pedofilia tem sido muitas vezes praticada pela Internet, meio que ainda tem pouca investigação e ação do Estado no combate aos crimes virtuais. Por isso, a necessidade de permitir a infiltração de agentes policiais no meio para obter provas
 
O projeto, criado pela CPI da Pedofilia, altera o Estatuto da Criança e do Adolescente, para prever a infiltração de agentes da polícia na Internet, com objetivo de investigar os crimes contra a liberdade sexual de criança e adolescente (pedofilia). A investigação será precedida de autorização judicial, de acordo com as circunstâncias e com fundamentos, estabelecendo limites para a forma como a prova será obtida, desde que ouvido o Ministério Público (MP). A infiltração não será admitida se a prova puder ser obtida por outros meios.

Senador Magno Malta quer regular uso do Brasão da República na publicidade, documentos e obras

Ligado .

Senador Magno Malta (PR/ES)) quer Proibir a utilização de outro símbolo que não o da República na publicidade, documentos ou obras da Administração Pública Federal.
 
Segundo pesquisa da VOTANAWEB, 93% dos brasileiros  apoiam o Projeto de lei que tramita no Congresso Nacional proibindo a utilização de outro símbolo que não o Brasão da República na publicidade, documentos ou obras da Administração Pública Federal. “Meu objetivo é evitar marca pessoal ou personalizar atividades da União em favor de pessoas ou outras entidades. O Brasão da Repúbica nãopode ser vulgarizado, parece pouco, mas é um gesto de respeito a nossa pátria”, esclareceu Magno Malta.

Pedófilo relata tentativas de tratamento, o descontrole e Magno Malta quer afastamento de abusadores de crianças da sociedade.

Ligado .

Para o senador Magno Malta (PR/ES), presidente da CPI da Pedofilia, a única solução para o problema do abuso de crianças é a prisão perpétua. "Eu acho que tem doença, mas tem safadeza, tem molecagem, tem demônio. Quando as pessoas falam em tratamento, eu não conheço nenhum que foi tratado", plavras do senador, referência internacional nesta pauta.
 
Marcos* tem 52 anos, dois filhos adolescentes, uma esposa e um emprego. Ele também tem culpa - a culpa de quem cometeu um crime e teve que ir para a cadeia para perceber que precisava de ajuda. A culpa de quem tem uma doença que é associada quase automaticamente a um crime: pedofilia, termo médico para o desejo sexual por crianças.

Magno Malta quer provas testemunhais para comprovar motoristas alcoolizados

Ligado .

Projeto de Lei de autoria do senador Magno Malta (PR/ES) que tramita no Congresso Nacional fará com que provas testemunhais e documentais sejam aceitas para comprovar que o condutor de veículo estava sob efeito de álcool, ao invés de utilizar o teste do bafômetro, com o objetivo de punir devidamente o condutor alcoolizado.
 
Com aceitação de 84% da população brasileira, segundo pesquisa realizada este mês, o projeto de lei do senador Magno Malta vai considerar como infração gravíssima, aquela que consiste em conduzir o veículo automotor em via pública, estando o condutor sob influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa. A penalidade prevista para esta infração será de multa (cinco vezes) e a suspensão do direito de dirigir pelo período de 12 meses, sem prejuízo da aplicação de outras sanções penais e cíveis cabíveis. “Até senador, militares e outros não quiseram fazer o teste do bafômetro, mas agora, basta uma filmagem ou testemunhas para indiciar qualquer motorista alcoolizado”, detalhou Malta.

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS