Magno Malta quer respeito a
convicções e posições políticas dos senadores

Ligado .

O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou, nesta terça-feira (19), que todos os parlamentares devem ser respeitados, independente do posicionamento que assumirem em relação ao impeachment. Ele disse ainda que nada pode impedir que a fé, as convicções e os afetos sejam mencionados no Congresso em quaisquer circunstâncias.

Malta afirmou que a zombaria feita a vários deputados federais por mencionarem a família, os filhos, a Bíblia ou o nome de Deus na hora da votação é de assustar. Ele não vê problema em o parlamentar externar convicções pessoais ao votar algo tão importante para o futuro do país.

Magno Malta afirma que o ciclo do Partido dos Trabalhadores encerrou no Brasil

Ligado .

Logo após a votação na Câmara dos Deputados aprovando o processo de abertura de impeachment da presidente Dilma, senador Magno Malta, afirmou que o resultado era esperado, mas não significa que o Brasil vai melhorar, pelo contrário, pode piorar, pois estamos em queda livre, agora, vamos para o Senado Federal, que também está sintonizado com o clamor das ruas. “Espero que Michael Temer anuncie nesta segunda-feira que não é candidato a reeleição, se for efetivado no car go, que irá chamar os melhores quadros deste País para fazer um trabalho significativo para sair deste buraco.

Para o senador Magno Malta hoje é o dia da libertação do Brasil

Ligado .

Ao lado da esposa, a ex-deputada federal e cantora, Lauriete, Senador Magno Malta está em vigília na Câmara dos Deputados acompanhando a votação do impeachment da presidente Dilma. Em vídeo, Magno, no Salão Verde, Magno mandou mensagem para o povo do Espírito Santo garantindo que acompa nha de perto da mudança política do país. “Hoje é dia de libertação e em seu nome estou de olho neste momento histórico”, disse Magno.

Em seu gabinete, com assessores de plantão, senador Magno Malta também recebeu várias lideranças partidárias. Preocupado com a comoção popular, ele chegou a pedir prudência aos manifestantes para que mantenham o clima de respeito sem agressão física e moral.

Magno Malta apoia manifestações, mas pede prudência para evitar insultos e agressões

Ligado .

Em plenário, senador Magno Malta, que há mais de quatro anos vem denunciando desmando do atual governo e defende o impeachment da presidente Dilma, pediu ao povo brasileiro que ao participar das manifestações tenha prudência. “Vamos evitar os insultos em aeroportos, nas redes sociais e manter nas ruas o objetivo de mostrar a indignação dos justos sem agredir, verbalmente ou fisicamente, quem não aceita as mudanças no Brasil. “Faço um alerta aos parlamentares que não são do PT, ao votar no domingo, quem for contra o impeachment estará tirando a corda do pescoço da Dilma e apertando no pescoço da população brasileira”, afirmou Magno Malta
 
Segundo Magno Malta, o governo erra quando polariza sua questão com o PSDB e nesta polarização envolve todo mundo e   chamam todos que são a favor do impeachment de golpistas. “Dizem eles que a presidente Dilma é uma mulher de mãos limpas e que não cometeu nenhum crime. Verdade. Não estamos dizendo que ela bateu a carteira de alguém e nem que ela assaltou um carro forte. Não tem crime penal nisso, mas quem já foi vereador sabe que vários prefeitos foram punidos por suplementar o or&ccedil ;amento sem pedir autorização da câmara. Ela cometeu crime de responsabilidade fiscal, ela violou e por isso cometeu crime, que refletiu em grande prejuízo para o país”, explicou Magno, em plenário.

Magno Malta quer população fiscalizando o Congresso Nacional durante impeachment

Ligado .

Logo após a comissão especial do impeachment na Câmara dos Deputados aprovar por 38 votos a 27, o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) favorável à abertura do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff, senador Magno Malta convocou a população para mais uma vez cobrar do seu parlamentar que vote em plenário pelo fim da “Era PT” e do governo Dilma. “Não deixe seu representante no parlamento tirar a corda do pescoço da presidente e colocar no seu”, disse Magno Malta, festejando o resultado na noite desta segunda-feira.

Depois de respeitado um prazo de 48 horas, a expectativa é de que a votação no plenário da Câmara comece na próxima sexta-feira (15) e leve três dias, terminando no domingo (17). Para ser aprovado e seguir para o Senado, instância à qual cabe julgar a denúncia, são necessários os votos de 342 dos 513 deputados. “Fiscalize seu candidato, vá até o aeroporto, vamos para às ruas, use as redes sociais para que possamos retomar o desenvolvimento colocando o Brasil no caminho do crescimento econômico e social, sem corrupção, convocou Magno.

"Nem ousam me oferecer nada", diz Magno Malta

Ligado .

Enquanto seu partido marcha ao lado de Dilma e controla o rico ministério dos Transportes, o senador Magno Malta (PR) se considera única, mas "respeitada", voz dissonante dentro da sigla. E jura que ninguém do governo lhe soprou vantagens ao ouvido: "Ninguém nem ousou me oferecer nada. E não acho que dar de cargos surte efeito, porque o voto do impeachment será aberto, no microfone".  Para Magno, que não apoia "quem abandona o barco" (PMDB), o Brasil virou piada no mundo inteiro, razão pela qual deputados peti stas lhe confessam constrangimento de representar o governo país afora. "Como a pessoa que representa uma base eleitoral de trabalhadores, e chega de cabeça baixa nos eventos por ser do PT, vai defender isso, enquanto os filhos de Lula estão milionários?", questiona o senador. "E os mesmos petistas me respondem: 'Isso é que é difícil pra mim".

Fonte: Da Redação Multimídia - A Gazeta

Magno Malta agradece aos policiais federais pelo eficiente combate à corrupção no Brasil

Ligado .

Durante assembleia da Federação Nacional dos Policiais Federais, em Brasília, nesta quarta-feira, senador Magno Malta, relator da Proposta de Emenda à Constituição que institui o adicional de periculosidade dos policiais federais, ministrou palestra enaltecendo a coragem e determinação da categoria nas operações recentes contra a corrupção no país.

“Trata-se de um seleto grupo de servidores que expõe sua vida a risco em prol da segurança pública, fato que enseja a concessão de regime remuneratório específico, condizente com a natureza de suas atribuições”, justificou Magno Malta na PEC 58 de 2015.

Magno Malta participa do lançamento simbólico da proposta popular de combate à corrupção no país

Ligado .

Na tarde desta terça-feira, o Ministério Público Federal (MPF) fez a entrega simbólica à Procuradoria Geral da República, de 2. 028.263 assinaturas de apoio ao pacote das 10 medidas de combate à corrupção. A lista com medidas rígidas será levada ao Congresso Nacional para votação. “Eu vou votar a favor e estou nesta campanha para acabar com a impunidade no Brasil”, disse o senador Magno Malta, representando o Espírito Santo na solenidade.
 
O evento foi organizado pela Câmara de Combate à Corrupção do MPF, que atuou como depositária das assinaturas durante os oito meses de coleta, realizada por voluntários em todo o Brasil. Durante a cerimônia, as fichas de assinatura foram devolvidas de forma simbólica à sociedade civil, que levará as propostas ao Congresso Nacional. Senador Magno Malta entregou o pacote de assinaturas coletadas no Espírito Santo e destacou a importância da iniciativa para combater o crime do colarinho branco com mais rigor.

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS