Notícias

CPI dos Maus-tratos em Crianças e adolescentes conclui em Vitória abrindo caminho para ama nova legislação.

 
Magno Malta encerra audiências da CPI dos Maus-Tratos em Vitória defendendo prisão perpétua
 
Foram dois dias de intensos interrogatórios de criminosos, abusadores de crianças, pedófilos e assassinos, deixando claro que o Brasil precisa de uma legislação preventiva e punitiva em favor das crianças e dos adolescentes. “Investigamos casos emblemáticos com visão de legislador, diferente dos delegados, assim, conseguimos alcançar pontos importantes do mundo do crime, sentindo pelo lado das vítimas, que já é o momento de conduzir o processo para ouvir a população sobre penas mais duras para crimes hediondos, como a prisão perpétua”, explicou Magno Malta. 
Ontem e hoje foram dias diferentes no Ministério Público do Espírito Santo, que recebeu a equipe de assessores e senadores, o presidente, Magno Malta e o relator, José Medeiros, Para uma série de audiências e oitivas da CPI dos Maus-Tratos em Crianças e Adolescentes. Na quinta-feira, além de vários depoimentos de pedófilos, a CPI foi obrigada a aplicar lei e prender pai e filho acusados de abusos sexuais em uma criança. O mandado de busca e apreensão aconteceu na propriedade dos acusados em Itacaré, Bahia, onde os acusados desenvolvem uma comunidade alternativa para manter procriação entre familiares, em uma tentativa de fazer uma raça pura. 
 
Este caso só foi descoberto em virtude da filha ter fugindo com o filho, um menino de três anos, que sofreu abusos dos familiares. “Presos durante a CPI, o assunto agora é da justiça da Bahia.
Nesta sexta-feira, outros depoimentos deixaram o auditório do MP-ES lotado. A mãe que ficou cara a cara com o abusador e assassino da própria filha, “Um monstro que aproveitou da inocência de uma criança tem que viver preso para refletir o tamanho da maldade que cometeu e o sofrimento que levou para muitas pessoas. Eu defendo prisão perpétua, disse a mãe.
 
E o último depoimento, do chamado “pastor George”, que segundo a polícia, abusou, espancou e queimou vivos o filho e o enteado. Alegando que já foi abusado sexualmente, o acusado nega o crime, mesmo com provas suficientes para o indiciamento.
 
Magno Malta várias vezes deixou claro a importância da Comissão Parlamentar de Inquérito que tem acelerado nas transformações sociais da nação com novas leis. “O trabalho continua, já avançamos, porém precisamos enfrentar as adversidades para alcançar o objetivo final, que é apresentar para o Brasil uma legislação nova, forte, moderna, preventiva e punitiva para coibir definitivamente qualquer violência contra as crianças e adolescentes, finalizou Magno Malta.
 
Assessoria de Imprensa
Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS