Notícias

Magno Malta apresenta cartilhas, projetos de lei e CPI dos Maus-Tratos vai continuar investigando

 

CPI dos Maus-Tratos lançou cartilhas e apresentou três projetos de lei. Tratam-se de proibição de crianças em eventos que tenham nudez como foco, sexo simulado, sexo explícito, apologia à pedofilia e vilipêndio a crença e credo. O segundo exige comprovação de antecedentes criminais para contratação de funcionários que prestem serviços de educação infantil e o terceiro obriga comunicar ao Conselho Tutelar os casos de castigos, violência e tratamento cruel ou degradante em crianças e adolescentes. “A CPI vai continuar trabalhando e mudando o quadro caótico que coloca em risco nossas crianças”, prometeu senador Magno Malta

Momento de emoção na 16ª reunião da CPI, nesta quarta-feira, quando o presidente, senador Magno Malta apresentou a proposta de projeto de lei que exige antecedentes criminais de funcionários de escolas e creches. “Esta Lei é uma homenagem a professora Helley Abreu Batista, 41, heroína que morreu durante o ataque a creche de Janaúba, em Minas Gerais, resgatando crianças”, disse Magno Malta em clima de forte emoção, já que o senador, representando a CPI esteve no local da tragédia.

Magno Malta, ao lado do relato José Medeiros e outros senadores, respondeu aos ataques da imprensa. A CPI tem um único foco e objetivo, que é defender as crianças e adolescentes criando leis e medidas preventivas. Mas quem não acompanha os fatos e tem outros interesses usam o poder da mídia para abafar um intenso e sério trabalho”, falou Magno aplaudido.

As cartilhas foram elaboradas pelo psiquiatra André de Mattos Salles, o psicólogo Carlos Henrique Aragão e a psiquiatra Fernanda Benquerer Costa. Com os temas “Vamos Conversar sobre de Automutilação”, “Vamos conversar sobre prevenção de Suícidio” e “Vamos conversar sobre bullying e Cyberbullying serão distribuídas para professores, pais e técnicos.

Magno Malta, sempre ao lado do relator, senador José Medeiros, deixou claro que sofreu pressões por convidar representantes do Banco Santander, também pelo movimento dos artistas em defesa das exposições polêmicas com nudez e também por investigar autoridades envolvidas em crime de pedofilia. “Mas não mudamos o foco em defesa das crianças e com isso conseguimos até 50 assinaturas para estender o prazo da CPI”, finalizou Magno Malta.

Assessoria de Imprensa

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS