Notícias

Magno Malta na audiência da CPI dos Maus-Tratos debate o aumento dos suicídios de crianças e jovens

As novas tecnologias e a popularização da internet foram apontadas pelos especialistas como fatores que podem levar a comportamentos depressivos e ao autoextermínio entre os jovens. O suicídio é a segunda maior causa de mortes na faixa etária de 15 a 19 anos, que também registra a automutilação. “Os jovens estão desconectados com a natureza e não levam vida saudável. Todos os pais do mundo deveriam ouvir o que foi falado aqui. Assunto tão importante, mas infelizmente não chama atenção da grande mídia”, lamentou o presidente da CPI, Magno Malta.

Os convidados da terceira audiência Pública da CPI dos Maus-Tratos André de Mattos Salles (psiquiatra), Carlos Henrique Aragão Neto (psicólogo ), Fernanda Benquerer e Antonio Carlos Braga dos Santos que trabalham voluntariamente com prevenção do sucicidio . “É triste saber que muitos suicídios tem origem de problema na infância. As pessoas adultas procuram para dizer que vivem desde de criança com um transtorno da infância. É preciso vomitar este m onstro”, ilustrou Magno Malta.

O representante do Centro de Valorização da Vida – CVV – Antônio Carlos Braga, revelou o aumento assustador do suicídio infantil. “Com base no Mapa da Violência, de 1984 a 2014 aumentaram em 30% os suicídios infantis. Esta pauta é evitada e os números não aparecem. A metadade das vítimas tem de 13 a 16 anos. Muitos antes da morte, buscam a mutilação para serem ouvidos. São jovens de lares desfeitos e que estão perdidos. A depressão infantil estás em todos segmentos sociais”, revelou o representante do CVV.

Com larga experiência na matéria, Fernanda Benquerer também revelou o quadro de angústia e sofrimento dos jovens. “O suicídio é a 13ª causa de morte no mundo. Para cada suicídio consumado tem 20 tentativas e todos com sequelas. O impacto do drama é imensurável. Não tem uma causa, mas um conjunto de fatores. Os eventos estressores de vida são elementos de risco. Existe um relacionamento com transtorno mental, o que significa que podemos interferir. Geralmente quem tentou uma vez, gealmente morre por suicídio. Os maus-tratos infantis são expressivos fatores de risco”, disse a especialista.

A rica audiência, que foi transmitida ao vivo pelas redes sociais, foi considerada pelo usuário muito importante, Senador Magno Malta convidou os médicos especialistas para colaborarem com uma nova cartilha e uma legislação para prevenir este fenômeno tão complexo. “Esta CPI não é apenas um protocolo, mas tem como objetivo mudar a cultura brasileira. Temos que salvar vidas”, arrematou Magno Malta.

“Temos que vomitar este monstro. Muita gente que carrega a vida toda os maus-tratos sofridos na infância e muitas vezes explodem em uma fatalidade”, alertou Magno Malta.

André de Mattos Salles, psiquiatra da infância, somou com informações e teorias que revelam os fatores de risco do suicídio de jovens. “O adolescente está em pleno desenvolvimento das áreas de emoção e por isso estão no grupo de risco. O ponto final de vida é mesmo a intenção de morrer, mas algunssó querem a mutilação, ou lesão, mas um leva a outro”, informou o médico.

Senador Magno Malta recebeu centenas de participação pelas redes sociais mostrando o interesse do público neste assunto cruel e fechado, “É preciso ouvir mais do que falar. Nestes casos, o comportamento dos jovens tem raizes desconhecidas e querem ser ouvidos. Este debate é para quebrar o paradigma e enfrentar o assunto cara a cara”, finalizou Magno Malta.

 

 

 

Assessoria de Imprensa

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS