Notícias

Magno Malta é contra reajuste de preço, criação de novos impostos e alega que o momento é de reduzir gastos

Senador Magno Malta subiu o tom na tribuna do parlamento pedindo basta aos reajustes de preços, aumentos de tarifas e criação de impostos, ao mesmo tempo, que clamou pela redução do custo da máquina pública e de taxas que possam revigorar a situação econômica do Brasil. “Eu não sou afeito e não estarei à disposição para aumentar imposto. Acho que é a hora do governo cortar gastos”, afirmou Magno Malta.

“É momento do governo trabalhar com gestão inteligente e agir com capacidade administrativa e usar a criatividade. Criação de impostos não contam comigo. Chega de sacrificar o contribuinte. Terá aqui, na minha pessoa um lutador contra novos reajustes e criação de tarifas, impostos e tudo que reflita no bolso do trabalhador. Vamos fazer cortes e diminuir ministérios”, propôs Magno Malta demonstrando indignação.

Ao contrário do Governo federal, Magno tem proposta para redução de custos. Ele é autor de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que estabelece que nenhum agente público poderá receber mais de R$ 15 mil de salário por mês por um prazo de vinte anos. O hoje, o valor passa de R$ 33 mil. A proposta já está tramitando na Casa.

No argumento, o senador disse que o teto de R$ 15 mil é suficiente para manter "dignamente" as famílias dos agentes públicos e que seria mais justo "compartilhar o sacrifício" de todos os brasileiros, em referência às classes mais desfavorecidas. Malta também quer o congelamento do Fundo Partidário pelo mesmo período. "Tem quase um ano essa minha proposta, redondamente, oito meses. A sociedade não aceita que se crie um fundo de R$ 3 bilhões e 800 milhões para financiar campanha".

Magno propôs que financiamentos de campanhas eleitorais só possam ser feitas via internet. "Eu tenho uma emenda para que autoriza pedir ajuda para campanha só pela internet. Um contribui com um real, outro com cinco reais, dois, porque o povo não vai aceitar, não vai suportar que se vote um fundo de quase R$ 4 bilhões em um país com 14 milhões de desempregados para poder financiar campanha. Não conte comigo para essas coisas. Certamente, aqui estarei para fazer essa luta", finalizou.

Assessoria de Imprensa

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS