Notícias

Testemunhas de Dilma na CEI não convenceram Magno Malta

O senador Magno Malta (PR-ES) registrou que as testemunhas foram à Comissão Especial justamente para negar os crimes, numa tentativa de usar a mídia e as redes sociais para salvar a presidente afastada. Para ele, no entanto, Dilma Rousseff estaria presa se houvesse uma lei que punisse com rigor quem faz promessas eleitorais e não as cumpre.
 
Magno Malta afirmou que testemunhas e informantes não convenceram e continua certo do impeachment. Não trouxeram fatos novos, pelo contrário, somaram em nada e só tentaram jogar para mídia, nem isso conseguiram. “Estou convicto de que Dilma, escorada nas pedaladas, contou as mentiradas nas eleições e cometeu crime de responsabilidade fiscal”, disse Malta.

“Os crimes estão aí, no desemprego, no desmonte da economia e no desmonte do Brasil. Reafirmo que hoje, último dia de oitiva de testemunhas, não fui convencido de nada. Estou firme na posição de votar pelo impeachment de quem destruiu a o país” concluiu Malta.

Assessoria de Comunicação
 

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS