Notícias

Magno vai até Regência e busca propostas com lideranças para apresentar no Senado Federal


“Um quadro desolador, no semblante dos moradores, mesmo com a intensa movimentação de helicópteros, imprensa internacional e muitos trabalhadores, o clima era de velório. As águas avermelhadas e densas da boca do rio, ao beijar o mar, pareciam lágrimas de sangue que despediam de um velho amigo que tanto sustento deu para a bucólica vila de pescadores”. Assim, senador Magno Malta descreveu o cenário que visitou nesta terça-feira, em Regência, em busca de informações que serão apresentadas na sessão temática do Congresso Nacional

Ao visitar a Associação dos Pescadores de Regência, Magno Malta foi informado que 68 profissionais da pesca ficarão sem trabalho por tempo indeterminado. A Diretoria reivindica um salário compatível até que o rio seja repovoado. “Pelos cálculos preliminares, cada pescador fatura R$ 600 por semana, a empresa responsável pelo acidente terá que pagar esta conta”, disse Magno.

Em seguida, Magno Malta conversou com o presidente da Associação de Moradores de Regência, Fábio Gama. Para ele, a melhor proposta é que a empresa forneça equipamentos para a prática de pesca oceânica e que a vila com quase mil habitantes possa receber infraestrutura para comercializar pescados. “Gostei desta proposta, pois é melhor do que receber para não fazer nada. Comprar grandes embarcações é pouco para a Samarco-Vale”, enfatizou Magno Malta.

O oceanógrafo Joca Thomé, coordenador do Projeto Tamar e responsavel pelo Ibama na região, conversou longamente com o senador Magno Malta. “Este acidente é fruto do Capital. Mas temos outras alternativas, com esta situação caótica, podemos desenvolver o turismo cientifico e alternativas de mão de obras, mas não sabemos a real dimensão da tragédia. O mundo sabe que no Brasil as mineradoras mataram um rio”, disse Joca emocionado para o senador,

Dois helicópteros descem e sobem constantemente, barcos são usados por agentes uniformizados e a população está impedida de até mesmo entrar no rio. “Estou preparado para mostrar os responsáveis o que fizeram e como vão pagar a conta”, finalizou Magno Malta, que defende abertura de uma CPI para investigar a tragédia do Rio Doce.

O Senado promove sessão temática no Plenário para que senadores e convidados debatam as consequências do desastre ambiental ocorrido no município de Mariana (MG). Foram convidados para participar do evento os governadores de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e do Espírito Santo, Paulo Hartung, e a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

Também devem participar da sessão temática o diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu Binacional, Nelson Friedrich, o ambientalista e fotógrafo Sebastião Salgado e representantes da Mineradora Samarco, da empresa Vale (antiga Vale do Rio Doce) e do Ministério Público Federal.

Assessoria de Comunicação

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS