Respostas

Pergunta: Ana Paula, Serra ES
Como fazer para participar da ong todos contra pedofilia e como posso adequirir a camisa?

Resposta: Prezada Ana Paula.Trata-se de uma luta de todas pessoas de boa vontade. Seja bem vinda. Fale direto a minha assessoria  no meu gabinete 61 3311 4161 e visite o nosso site. www.todoscontrapedofilia.com.br. Fico feliz pela sua coragem e determinação.

Com carinho e respeito,

Senador Magno Malta.

Pergunta: Antonio Carlos - Cuiabá MT
Senador, Como cristão e homosexual venho agradecê-l0 por ter a grandeza de reconhecer que nenhuma pessoa seja ela em razão de sua cor, de sua religião ou de sua orientação sexual deve sofrer as consequências da intolerância e do ódio e se propor a discutir leis que venham a punir crimes violentos motivados por ódio. Eu não escolhi ser homosexual, pois não escolhi ser um parea da sociedade, ter que me esconder de minha família, sofrer perseguições diárias e piadas de mau gosto, conviver com o risco de ser assasinado por pessoas mal intencionadas. Eu simplesmente sou assim.. como tenho cabelo preto e olhos castanhos. Não consigo mudar, Senador ! Quero apenas ter o direito como cidadão de ser respeitado em minha integridade física. Isso é muito Senador ? Acho que isso é elementar em uma Democracia e todos, principalmente os \"tementes a Deus\" devem lutar para que todo tipo de intolerância e ódio seja extirpado de nosso país. Não pedimos que aceite a homosexualidade como algo natural, isso vai da consciência e formação de cada cidadão.. mas que respeite nossa integridade física e nossa vida. Sou contra uma pessoa usar maconha por convicções próprias, mas absolutamente contra o preconceito a esses usuários e a violência aos mesmos. O ser humano perde muito tempo julgando o próximo e pouco tempo amando o próximo, principalmente aqueles que se dizem seguidores de uma religião. Não seria isso uma distorção do maior ensinamento de Deus? (Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo). Conheço muitas relações ditas heterossexuais que são muito mais repreensíveis que outras homossexuais. Lhe garanto que nenhum homossexual escolheu ser aasim, na verdade el e é assim, como os negros são negros, os índios são índios. Já religião, cada um escolhe a sua e cria suas regras e rituais. Uns vivem de discriminar o próximo, outros, de se matarem e matar ao próximo em uma guerra santa… melhor seria que todos apenas amassem ao próximo. Senador, mostre que a bancada evangélica quer o bem de todos, que é uma bancada que prega a tolerância e o respeito a dignidade humana encontrando uma solução pacifica para os casos hediondos de violências contra pessoas homosexuais. Nenhum evangélico que conheço prega a violência, mesmo porque não seria evangélico. É apenas isso que queremos.. punição a crimes violentos contra homosexuais, negros, deficientes físicos, motivados por religião e etc..Contruibuiremos assim para uma sociedade justa e fraterna, onde evangélicos estão ao lado do respeito humano e não o contrário, todos de mão dada contra o preconceito.

Resposta: Dr. Antônio Carlos, é com todo respeito que recebo sua indignação. Sem tirar uma vírgula do que escreveu, penso igual ao senhor. A sociedade brasileira é injusta e cruel com as minorias. Matamos os índios com requinte de crueldade.  Lembra-se dos jovens que atearam fogo em um índio em Brasília? Escravizamos os negros e até hoje, anos após Princesa Izabel abolir a escravidão, ainda tem irmãos discriminados e explorados pela condição de sua cor. Tem religiosos que não toleram os evangélicos e tem evangélicos que não toleram os espíritas. As mulheres, mesmo em um país presidido por uma mulher forte, sofrem com o preconceito machista. Na escola o “gordinho” é objeto de piada e de discriminação. Na verdade, nós, seres humanos, somos imperfeitos e ninguém é melhor que ninguém. O rico não pode pisar no pobre. Esta, meu caro Antônio Carlos, é a minha maior bandeira de homem público, vencer o ódio, a discriminação, a intolerância e todo o tipo de preconceito enraizados no seio das sociedade brasileira. No campo da religião, temos o grande exemplo de Deus, nosso maior Mestre, que deu aos seus filhos o livre arbítrio. Somos livres para escolher e responder por tudo que fazemos. Estou pessoalmente escrevendo, não é minha assessoria, sou eu mesmo que faço questão de expor minhas idéias sem querer impor ou forçar aceitá-las. Estive com a senadora Marta Suplicy e chegamos a uma única conclusão, precisamos urgentemente mudar o texto da PL 122. A palavra homofobia é desconhecida na sua essência, mas falar de preconceito e intolerância fica muito mais abrangente. Pela sua formação de advogado, pelo seu conhecimento de vida e tamb ém pela cidadania, convido-o a participar mais diretamente desta nossa luta. Meu gabinete tem as portas abertas para recebê-lo. O seu depoimento é claro, real e importante para esclarecer a todos que tem sensibilidade e amor no coração. Conte comigo, sou servo do senhor, mas independente da religião, sou senador de todos, não posso descriminar, odiar e nem tratar nenhum brasileiro com intolerância. Pelo contrário, tenho que amar o meu povo, mesmo com tantos defeitos. tenho que tratar os desiguais com igualdade e defender apenas um conceito como verdade única, que todos, perante a Constituição Brasileira tem o mesmo direito, independente de sexo, raça, religião e ideologia política.

Estou à sua disposição.

Senador Magno Malta.
Pergunta: Denise - São Paulo
Boa tarde, Senador Hoje quando o filho completa 18 anos , por lei o pai deixa de pagar pensão alimentícia , porém este cancelamento não é automatico , tendo que se ingressar com uma ação de exoneração de pensão , o que vejo e que muito filhos se folgam e não procuram trabalhar , ter uma vida produtiva , porque continuam sendo sustentados pelo pai, e muitas vezes o pai continua pagando por não ter até condições de assumir o custo desta ação , acho injusto uma vez que ele ja fez sua parte , pagou até a maioridade do filho (a) , o Sr. não acha que seria mais certo e pratico que este cancelamento fosse automático? Caso houvesse real necessidade o filho(a) ingressaria com ação para pedir auxílio.

Resposta: Prezada Denise. Antes de tudo, muito obrigado pela sugestão de objeto de estudo que está oferecendo. Estou encaminhando para minha assessoria jurídica sua interrogação. Realmente, faz sentido sua pergunta. Penso que o pai que quiser pode auxiliar o filho durante toda a vida, mas não por força de lei, mas pelo coração, pela doação e pelo merecimento do filho. A lei não pode forçar o pai pagar pensão depois da maioridade. Vamos avançar com sua colaboração de advogada.

Continue acompanhando nossa atividade. Sou grato pela boa vontade em colaborar.

Atenciosamente,
senador Magno Malta.
Pergunta: Cláudio Luís Vitório dos Santos - Rio Grande - RS
Caro Senador Magno Malta, sempre tive o maior orgulho em ver sua atuação no mundo político brasileiro. Mas tenho uma pequena dúvida e espero que o senhor a dirima: O senhor foi, é ou será conivente com esta bandalheira desenfreada que ocorre no Ministério dos Transportes ???? No aguardo de sua resposta,

um abraço Cláudio Luís V. dos Santos
      
Resposta: Senhor Cláudio Luiz, sou grato pela oportunidade de esclarecer a citada situação no Ministério dos Transportes. Tenho exigido total transparência dos fatos e punição para os envolvidos. Não aceito e não sou conivente com atos de corrupção. Defendo o atual governo que tem demonstrado vontade política em sanear moralmente o Brasil e assistir. Coração do homem é terra que ninguém pisa e conhece. O homem, o mesmo que prendeu e cravejou Jesus na cruz, tem muitos limites. O ser humano tem momentos de fraqueza, e por isso, não fico surpreso com muitos desmandos. Agora, o país mudou, quem erra paga um preço alto, a começar pela exposição na mídia. Muitas vezes tenho orado, quase todos os dias, peço ao meu Deus, força e co ragem para ser um instrumento de paz e defender os bons costumes. Vamos juntos, neste momento, pedir a Deus que dê força a nossa Presidenta Dilma Rousseff para que seja justa e combata este mal pela raiz. Em pouco tempo, ela já afastou dois Ministros denunciados pela imprensa. É um sinal de que podemos confiar nesta mulher corajosa e destemida.

Tenho certeza de dias melhores para todos.

Atenciosamente,
Senador Magno Malta
Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS