CPI da Pedofilia

Desembargadora censura site pessoal do senador Magno Malta

Magno Malta: "sou homem sem medo"

A jurista plantonista Heloísa Pinto de Freitas de Vieira do Tribunal de Justiça da Bahia obrigou o provedor Google do Brasil e retirar três textos que citavam o médico rico acusado pelo Ministério Público de ter estuprado o próprio filho de três anos

Em pronunciamento no plenário do Congresso Nacional, senador Magno Malta (PR/ES) reagiu com surpresa a determinação da justiça baiana de censurar reportagens do seu site que reproduzia informações de inquérito policial e denúncia do Ministério Público contra o médico bariátrico, Marcio Café Cardoso Pinto, que em um vídeo é apontado com responsável pelo estupro do filho, que narra cenas fortes, cuja violência canal foi comprovada pelo Departamento Médico Legal da Bahia e a gravação, segundo o perito Ricardo Molina é autêntica.

“Estou estupefato por uma decisão que considero agressiva e incauta, pois não denunciei nenhuma pessoa, apenas estou reproduzindo provas levantadas pela polícia e pelo Ministério Público”, esclareceu Magno Malta que ontem mesmo enviou pedido de informação ao Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público da Bahia, Wellington César Lima e Silva para demonstrar a indignação e solicitar aplicação da lei, disse Magno Malta que na próxima semana assume a presidência da subcomissão de combate a Pedofilia na Comissão de Direitos Humanos do Senado.

A três matérias censuradas pela desembargador Heloisa Pinto, são:”Magno Malta pede providências contra médico acusado de pedofilia”, “Paim quer Magno Malta na presidência da subcomissão da pedofilia da CDH” e “Denúncias sobre pedofilia crescem 150% no Brasil”, todas as reportagens citavam o médico Marcio Cardoso Pinto acusado em vários inquéritos por abusar do próprio filho e ficar impune.

Magno Malta usou o plenário para explicar que não é autor das denúncias, apenas recebeu os documentos , peças de inquérito e gravações comprovando o delito que tanto ele combate.” O pior de tudo, mesmo com as tantas provas, a juíza Janete Fadul, já afastada pelo Conselho Nacional de Justiça acusada de venda de sentenças, não aceitou a denúncia do Ministério Público.”Por isso levei o fato ao conhecimento público para acabar com a impunidade no Brasil”, acentuou Malta.

Em tom sereno, Magno Malta mais uma vez falou que não tem medo em respeito às crianças brasileiras. “Em consideração e com carinho estou defendendo este menino que pela gravação ficou com sérias sequelas. Ficamos chocados quando o garoto usa um lápis para demonstrar o que o pai fez a ponta de sangrar o anus da crianças  e ser comprovado o estupro pelo Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, de Salvador.

Presidindo a sessão, Paulo Paim marcou para a próxima quinta-feira a instalação da subcomissão de combate a pedofilia. “Vamos apurar o caso do Médico Marcio Café e centenas de outras denúncias.  Medo é uma coisa que não conheço”, finalizou indignado Magno Malta, que também enviou comunicado do fato ao Presidente do Tribunal de Juatiça da Bahia, Mario Alberto Simões Hirs.

Fonte: Assessoria de Imprensa.

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS