CPI da Pedofilia

Denúncias sobre pedofilia crescem 150% no Brasil

Denuncie

Levantamento é referente ao período da CPI da Pedofilia, presidida pelo senador Magno Malta (PR/ES) e a pesquisa recente  foi realizada por uma ONG italiana preocupada com as novas mídias digitais

“Os abusos sexuais contra crianças sempre existiram, mas a população despertou para a realidade nos últimos anos e tomou consciência da importância em denunciar os abusadores para acabar com a impunidade”, explicou senador Magno Malta que vai assumir a presidência da subcomissão de combate a Pedofilia da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal.

De acordo com uma ONG italiana -  de defesa dos direitos da criança e do adolescente - as denúncias contra a pedofilia cresceram 150% em dez anos. Em tempos de tablets e smart fones e de alta tecnologia, fica muito difícil para os pais e professores vigiarem os filhos e alunos, como mostra a reportagem do TEM Notícias.

Considerada a mais importante Comissão Parlamentar de Inquérito instalada no Congresso Nacional, a CPI da Pedofilia, descobriu que o perigo contra as crianças estava dentro da própria casa, muitas vezes na internet e segundo o senador Magno Malta, de dez abusadores, sete são os próprios pais, parentes e amigos próximos da família.

Recentemente a Rainha dos Baixinhos, apresentadora da Globo, Xuxa Meneguel emocionou o país com relatos estarrecedores de que foi abusada até os 13 anos. A cada dia aparece diversas denúncias com vítimas e abusadores de todos os segmentos sociais.

 

Senador Magno Malta (PR-ES) pede investigação sobre arquivamento de denúncia de estupro na Bahia
Senador Magno Malta (PR-ES) pede investigação sobre arquivamento de denúncia de estupro na Bahia

Esta semana, senador Magno Malta fez pronunciamento pedindo providências contra um Médico de Salvador, Bahia, acusado pelo Ministério Público de ter abusado e estuprado o próprio filho de três anos de idade. O crime aconteceu na casa de praia do acusado e o menino gravou um vídeo mostrando os detalhes do crime. “A pequena vítima, em notório estado de choque, narra com detalhes a violência praticada pelo próprio pai, um animal que está sendo protegido pela juíza Janete Fadul de Oliveira, que tem histórico de envolvimento com quadrilha de venda de sentenças”, revelou Magno Malta no microfone do plenário. A justiça proibiu a divulgação do nome do médico.

A juíza Janete Fadul,  mesmo com a confirmação do estupro pelo laudo do Departamento Médico Legal da Bahia e da autencidade da gravação comprovada pelo  laboratório de Perícias do professor Ricardo Molina de Figueiredo, arquivou o processo. “As denúncias aumentaram em virtude da confiança que as famílias passaram a ter no fim da impunidade, mas estes casos isolados estão na contra mão e vamos denunciar a magistrada no Conselho Nacional de Justiça e já provocamos o Ministério Público da Bahia para recorrer da decisão da juíza que rejeitou a denúncia contra o médico abusador do filho”, acentuou Magno Malta.

Magno Malta recebe todos os dias denúncias de abusos sexuais contra crianças e por isso foi convocado pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado Paulo Paim (PDT/RS) para assumir a coordenação da subcomissão contra pedofilia. “Ainda este mês vou assumir esta responsabilidade e teremos mais força para evitar impunidade e tráfico de influência no poder judiciário.

Outro perigo, segundo Magno Malta, “são os dez milhões de menores conectados a rede mundial de computadores. Já quebramos o sigilo da Google, mas não foi suficiente, precisamos de legislação e fiscalização específicas para um maior controle. Defendo campanhas educativas para as famílias tomarem consciência do risco que correm”, finalizou Magno Malta.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS