CPI da Pedofilia

PF: operação de combate à pedofilia termina com um preso

SÃO PAULO - A Polícia Federal cumpriu 113 mandados de busca e apreensão em 17 Estados e no Distrito Federal. O objetivo da Operação Carrossel II foi combater a pornografia infantil na internet. Foram mobilizados 650 policiais. Cada equipe contou com um perito criminal especialista em informática para que a análise inicial do computador ocorresse ainda no local da busca.

Segundo informação inicial da Polícia Federal, três pessoas haviam sido presas em flagrante. Mais tarde, a PF afirmou que houve um engano e não havia nenhuma prisão até as 10h30.

Os Estados onde ocorreu a operação foram São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Minas Gerais, Pernambuco, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Paraná, Paraíba, Goiás, Rio Grande do Norte, Pará, Bahia, Ceará e Sergipe e no Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Federal, o Estado onde a operação se concentrou foi São Paulo, com 50 mandados de busca.

No Rio Grande do Sul, foram cumpridos 16 mandados, sendo 13 em Porto Alegre, um em São Leopoldo, um em São Borja e um em Viamão. Nesta última cidade, uma pessoa foi presa em flagrante. O suspeito foi encaminhado à Superintendência da PF em Porto Alegre.

No Paraná, foram cumpridos oito mandados, sendo seis em Curitiba e região metropolitana, um em Maringá e um em Laranjeiras do Sul.

Em Salvador (BA) foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em dois bairros, com recolhimento de CDs, DVDs, pen drives, cartões de memória e HDs.

Os policiais promoveram a apreensão de computadores, discos rígidos, pen drives, cartões de memória, CDs, DVDs e todo material que possa estar, direta ou indiretamente, associado à prática de pedofilia.

A ação converge com os trabalhos da CPI da Pedofilia, instaurada no Senado Federal em março, para investigar o assunto. A apuração da Polícia Federal contou com o apoio da Interpol no Brasil.

De acordo com a assessoria do senador Magno Malta (PR-ES), a troca de informações entre a PF e a CPI permitiu que fossem identificados os endereços IP de onde o material foi postado e a posterior localização física dos computadores.

As investigações da operação Carrossel I já identificaram aproximadamente 200 supostos pedófilos em mais de 70 países. Na Holanda foram identificados cerca de 100 suspeitos. Em Israel e na Grécia, os investigadores mapearam, respectivamente, 30 e 22 pessoas envolvidas com pornografia infantil. A Polícia Federal e a Interpol têm mantido contato com as autoridades policiais desses países para auxiliar na prisão dos criminosos.

A primeira fase da Operação Carrossel foi deflagrada em 20 de dezembro de 2007. Na ocasião, foram cumpridos 102 mandados de busca e apreensão e houve três prisões em flagrante.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é crime apresentar, produzir, vender, fornecer, publicar ou divulgar fotografias ou imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente por qualquer meio de comunicação, inclusive a rede mundial de computadores.

A lei prevê pena de até seis anos de prisão e multa. O material apreendido será analisado pelos peritos para comprovação da prática do crime.

Fonte: Portal Terra

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS