CPI da Pedofilia

Microsoft promete colaborar com CPI da Pedofilia

São Paulo, 27 de agosto de 2008 - O diretor-geral do MSN/Hotmail no Brasil, da Microsoft, Osvaldo Barbosa de Oliveira, manifestou o interesse do grupo em colaborar com as autoridades em torno do combate à pedofilia na internet.

Ao ouvir a exposição de Oliveira sobre o sistema de segurança virtual da empresa, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, do Senado, senador Magno Malta (PR-ES), afirmou que a comissão está aguardando a quebra do sigilo de 18,5 mil usuários da web no Brasil, identificados por comunicações ilegais.

A CPI também pretende pedir à Justiça a quebra do sigilo telefônico dessas pessoas, que devem ser indiciadas por crimes de pedofilia quando forem identificadas. Segundo Malta, entre seis mil e sete mil pessoas deverão responder criminalmente por usar a rede para praticar esses delitos.

O senador defendeu a instituição permanente de campanhas públicas, como se faz na área de saúde, alertando a população sobre a difusão da pedofilia pela internet no Brasil e também sobre o cuidado que os pais devem com os contatos que os filhos fazem por meio da rede.

O representante da Microsoft no Brasil disse que o MSN comporta ferramentas capazes de detectar a transmissão de imagens de crianças veiculadas por pedófilos. Adiantou, entretanto, que quanto às comunicações habituais de usuários não há quebra do sigilo, com o monitoramento que é feito.

Os usuários do Messenger, do Hotmail e do Windows Live Space, segundo ele, assinam termo de conduta para a utilização desses produtos, oferecidos gratuitamente. Quando são detectadas comunicações ilegais, elas são suspensas e copiadas para que fiquem à disposição da Justiça, por meio de pedidos que venham a ser feitos à Microsoft.

De acordo com Barbosa, o Brasil precisa avançar no monitoramento da internet, lembrando que nos Estados Unidos isso é feito com muita eficiência, pois "os americanos odeiam mais a pedofilia  que o próprio narcotráfico".

O senador Malta disse que é preciso combater a pedofilia, por intermédio de leis rígidas que a CPI vai propor, sob pena de que, "em 15 anos tenhamos um contingente enorme de pessoas seriamente lesionadas emocionalmente, vítimas desse tipo de crime".

Fonte: Agência Brasil - RADIOBRÁS

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS