CPI da Pedofilia

Magno Malta aplaude juiz que proibiu filme de pornografia infantil e pedofilia

"A Serbian Film : Terror sem Limites" programado pelo festival de cinema fantástico do Rio é o longa mais censurado e polêmico da atualidade

Presidente da Frente Parlamentar Mista Permanente em Defesa da Família Brasileira, senador Magno Malta (PR/ES) manifestou total apoio ao Juizado da 1ª Vara da Infância e da Juventude do Rio de Janeiro que proibiu a exibição no RioFan, festival de cinema fantástico do Rio, que programou o filme que contém  incesto, pedofilia, necrofilia, violência a granel - incluindo dois assassinatos em que a arma é um pênis - e, em seu momento mais polêmico e chocante, o estupro de um recém-nascido. “É uma produção estrangeira que violenta o público, escandaliza e faz apologia a pornográfica infantil. Não é arte, trata-se de caso de polícia”, verbalizou indignado Magno Malta.

"A Serbian Film" conta a história de um astro pornô aposentado que, por uma fortuna, aceita fazer um último filme, uma obra pornográfica com pretensões artísticas. Durante as filmagens, ele é drogado e forçado a cometer atrocidades sexuais. É o filme mais censurado dos últimos 16 anos no Reino Unido e foi liberado após 49 cortes. Na Noruega, está vetado; na Espanha, rendeu um processo ao diretor do festival que o exibiu. Também teve problemas com a lei na Alemanha e  foi censurado em seu país de origem, a Sérvia.

Por decisão da Caixa Econômica Federal,  Serbian Film foi  retirado da programação da mostra RIOFAN, em cartaz na CAIXA Cultural RJ e patrocinada por essa Instituição.” Mas o Grupo Estação, em parceria com a distribuidora Petrini Filme insistiu e ameaçou  promover uma sessão extraordinária de A Serbian Film no Cine Odeon, no sábado, dia 23 de julho. Mas a justiça não falhou e censurou no memo dia a exibição no Rio de Janeiro. “Uma medida acertada em favor dos bons costumes, da moral e da família brasileira”, elogiou Malta.

Para Magno Malta, que não assistiu o filme mas leu a sinopse, “é um pesadelo de horror, pornô violento  e criminoso com requites de crueldade”, definiu Magno Malta. No Twitter, o gaúcho Cássio Elsen, que baixou pela internet, comentou:” foi um show de horror. Pésssimo, repugnante e foge ao bom senso. O diretor deve ter tido uma infãncia atormentada e sofrida para produzir duas horas de maldade e crueldade”, concluiu

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS