CPI da Pedofilia

Magno Malta elogia declaração de Bento XVI contra pedofilia

  
  
O Papa Bento XVI disse ter ficado indignado e angustiado com os fatos publicados em um relatório sobre violências sexuais cometidas contra crianças por sacerdotes católicos na Irlanda. A declaração do Sumo Pontífice foi elogiada pelo senador Magno Malta (PR-ES), que classificou a reação do papa como um desabafo indignado de um cidadão que tem alma e respeita a vida.

- Tem líder religioso abusando de criança. Também tem pai que abusa. O tema é desagradável, mas a declaração do Papa merece ser elogiada. Eu professo a fé evangélica, mas na última vez em que estive no Maranhão, há 40 dias, infelizmente tive que dar voz de prisão a quatro pastores abusadores de crianças. Infelizmente a pedofilia no nosso país e no mundo também anda de Bíblia nas mãos e reza missa - afirmou Magno Malta.

O senador pelo Espírito Santo, que é presidente da CPI da Pedofilia, elogiou também a decisão tomada pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal que, na terça-feira passada (15), determinou o imediato cumprimento de acórdão do Tribunal de Justiça de Roraima que, em junho de 2007, condenou o juiz Arnon José Coelho Júnior à pena superior a nove anos e à perda do cargo. A pena se deveu ao crime de estupro presumido de uma menor de 13 anos.

Magno Malta também comemorou a rejeição, pela mesma Segunda Turma do Supremo, de um habeas corpus impetrado pela defesa do engenheiro e professor de artes marciais Anderson Luiz Juliano Borges Costa, de Volta Redonda (RJ). Ele foi condenado a 51 anos e meio de prisão em regime fechado por pedofilia e atentado violento ao pudor. Em sua casa foram apreendidos 167 CDs com fotos e imagens de sexo explícito com crianças e adolescentes.
 
Fonte: Agência Senado
Brasília-DF // Esplanada dos Ministérios - Senado Federal - Ala Tancredo Neves, Gabinete 57
Telefone: +55 61 3303-4161/1656
E-mail: magnomalta@senador.gov.br

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADE
CONECTE-SE A NÓS